O diabo que te carregue!

Quando me vi numa manhã olhando para os cabides esqueléticos balançando no armário subitamente vazio do meu agora ex-marido, pensei “preciso escrever, caso contrário não vou sobreviver a isso”.

ArquivoExibir

Quando me vi numa manhã olhando para os cabides esqueléticos balançando no armário subitamente vazio do meu agora ex-marido, pensei “preciso escrever, caso contrário não vou sobreviver a isso”.

Por ser minha profissão, fui mais além: decidi fazer um livro que contivesse cada específica experiência que a desconhecida rotina de mulher separada iria me trazer. E estipulei um prazo para esses registros: um ano.

Nada escapou do meu olhar: os comentários maldosos da família dele, os intrometidos perguntando “vocês se separaram por que?”, o aniversário dos filhos, a nova namorada dele, o ciúme, a mágoa, a raiva, os chocolates, as brigas por dinheiro, a vontade de se ver bonita novamente, a procura por uma perna cabeluda, os motéis, os prazeres e as decepções da vida de solteira.

Eu não apenas queria, mas precisava escrever esse livro: por mim e por todas as mulheres que não têm espaço sequer para purgar a própria raiva após uma separação sem serem julgadas por isso. Essa raiva pode não ser aceita pela boa menina que fomos ensinadas a ser, pode não ser politicamente correta, pode até mesmo ser injusta, mas é legítima, é a resposta emocional que conseguimos ter naquele instante – e ela merece ser levada em conta em vez de varrida para debaixo do tapete. E já que a raiva, a mágoa e a dor estão lá, por que não cuidar delas com humor? Afinal, um bom relacionamento com o ex não só é desejável (sobretudo quando se têm filhos), mas possível e, por mais paradoxal que pareça, o primeiro passo é gritar: o diabo que te carregue! Ferida tampada não cicatriza, raivas não assumidas não desaparecerem.

Você está convidada a acompanhar essa jornada aqui no Exnap: “O diabo que te carregue!” será publicado como um folhetim, um capítulo por semana. Pode acreditar: há luz e sol no fim desse túnel. Vamos juntas, um trilho de cada vez.

Stella Florence

Stella Florence é escritora, autora dos sucessos “Os Indecentes”, "32", “Hoje acordei gorda”, entre outros. Stella é cronista veterana e parceira do Exnap! www.stellaflorence.net