Adeus ano velho, Feliz ano novo (de novo)

Quem não tem algo que realmente queira mudar? Pois mude, mas mude logo, mude agora, antes que se perpetue e se torne parte de você

img_5737

Ele chegou! (de novo…)
Sim, é um novo ano… E ele vem, independente se você o deseja ou não. Por sorte a grande maioria deseja, comemora, faz planos, muitos dos quais serão engavetados antes mesmo que maio chegue… mas não tem problema, mais uns meses e eles serão desengavetados, repaginados e servirão como resoluções para um próximo ano… E o ciclo recomeça.

Mas você já parou de fato para analisar sua vida e computar o quanto de lixo tem armazenado? Não estou falando somente do lixo físico, esse também, mas principalmente do lixo mental. E é na nossa vida afetiva que mais entulho tende a se formar. Em grande parte por culpa (se é que culpa existe) nossa.
O que nos consola é que não precisa ser assim, não mais. Depende apenas de uma resolução e podemos mudar tudo. Afinal, há quantos anos você está esperando por um ano verdadeiramente novo?

E não adianta responder mecanicamente que todos os anos são novos porque não é assim, para uma boa parte das pessoas, os anos há muito passaram a ser apenas um em que se emenda o outro, ao trocarmos as datas ao final de dezembro, continuam o mesmo.
Uma boa varredura pode ajudar. Lembro-me quando moça, minha avó pouco antes da meia noite do último dia do ano, varria a casa toda, porque não queria que a sujeira de um ano passasse para outro. Ingenuidade, pensava, sorrindo… Hoje vejo que era algo muito sábio, essa varredura quando bem feita, pode determinar a novidade do ano, em lugar da mesmice recorrente…

E porque não tentar? Quem não tem algo que realmente queira mudar? Pois mude, mas mude logo, mude agora, antes que se perpetue e se torne parte de você, assim acontece com muitos detritos, passam a ser parte da própria essência e depois que isso ocorre é muito, mas, muito mais difícil se livrar dele.

Em que parte da sua vida, o monturo se formou? No aspecto profissional? No sentimental? Nas amizades? O que importa aqui é saber detectar e todos nós temos essa capacidade, por mais que pensemos que não.
Você deve estar pensando que se somos capazes de detectar, então porque não tomamos providencias quanto a isso? Acomodação. Para mudar é preciso agir e quantos de nós, nos arrepiamos a mera alusão da palavra Agir… Vamos postergando enquanto dá, isso é fato e se olharmos para o interior com olhos de “ver”, certamente entenderemos essa profunda verdade.

Mas mudar é possível e essa é uma ótima época do ano para começarmos o processo, alguém falou aí em ano novo? Pegue essa ideia e não se permita viver mais um velho ano por mais doze meses.
Então? Vassoura na mão? Vamos à faxina…

Limpando para o ano novo


1) Família e obrigações:

O que você faz que não lhe dá prazer e somente o faz para agradar a família?

Talvez esteja preso a rituais que não dizem nada ao seu íntimo (como aquela ceia com parentes que só vê nesta época), viagens obrigatórias etc … Rompa as amarras, informe aos interessados que não conte com você esse ano, porque estará mais ocupado consigo mesmo e em troca, planeje algo que realmente esteja a fim de fazer, nem que seja não fazer nada.

2) Na vida profissional:
Tente arrumar a bagunça se que se tornou sua vida, como aceitar tarefas de mais ou que não dizem respeito a você e só as aceitou para não dizer não, colocar em ordem tudo que foi empurrado até aqui, na esperança de que se resolvessem espontaneamente, fazer as pazes com aquela pessoa que você brigou e hoje nem lembra mais porquê, planejar a retomada de projetos que o interessam e que havia engavetado, jogar fora os que não vale mais a pena, isso é se preparar para o novo, efetivamente.

3) Na vida pessoal:
Como você tem se tratado nos últimos tempos? Tem sido seu melhor amigo? Ou simplesmente anda por aí, alheio ao próprio corpo, vivendo em função de fatores externos, apenas? Hora de mudar. Busque fazer algo que o agrada pelo menos uma vez a cada semana. A saúde vai bem? Marque exames, se cuide, entre em uma academia ou passe a andar todos os dias, saiba que a vida sedentária o está prejudicando (sempre prejudica). Reveja seu plano alimentar, beba mais água, coloque mais legumes, frutas e verduras no seu prato e mais importante que isso tudo: Se ame da forma certa porque você é o único responsável por você mesmo e se esqueceu disso é a hora certa de lembrar.

4) Nas amizades:
Reveja cuidadosamente os amigos. Quem são? O que de fato fazem na sua vida? Agem exatamente como se espera de um amigo? (Não conte os conhecidos, estes, vem e vão e não tem o poder de nos fazer bem ou mal), estou falando dos amigos, aqueles que tem sempre uma palavra que o coloca para cima, ou não… Todos nós, sem exceção, sofremos em graus variados da síndrome de Estocolmo (amarmos nossos torturadores) e se não prestarmos atenção, mantemos durante anos à fio, inimigos ao nosso lado, jurando que são amigos. E para distingui-los é muito simples: Esses falsos amigos não perdem oportunidade para apontar nossos erros, defeitos, nos colocam para baixo e nos desencorajam quando revelamos nossos sonhos e projetos. E isso se repete de forma recorrente. Aquele seu amigo é assim? Varra para longe que é melhor só do que mal acompanhado!

5) Na vida amorosa:
Em um ano não falta oportunidade para acertarmos e errarmos. Em todo relacionamento existem altos e baixos. Desconfio muito dos relacionamentos perfeitos. Algo estanque, sem movimento e sem novidade, com tudo sempre nos devidos lugares dificilmente contém vida, está mais para prateleira bem arrumada. Portanto é no campo amoroso que mais material a analisar iremos encontrar. Quanta mágoa estamos entulhando? Jogar fora, urgente. Acertar os desajustes, pedir perdão e perdoar, abrir as janelas e deixar a luz entrar… Pesar os prós e contras com coragem e principalmente esperança. Um relacionamento só é bom, quando faz mais bem do que mal a um e outro… Sonhar junto com dias melhores, brindar a chegada do ano novo com coração e alma lavadas, com beijos, abraços, carinhos e gratidão, por tudo que já passaram junto e ao futuro feliz que os aguarda. Que venha enfim o novo tempo!

 

 

Regina Racco é autora dos livros: O livro de Ouro do Pompoarismo, A Conquista do prazer Masculino e Pirulito e Outras Delícias, sexo para mestres na arte da sedução , na área de sexualidade e dos livros Glúten e Obesidade, a verdade que emagrece e A Deliciosa Cozinha sem Glúten na área de alimentação e saúde. É também professora de Ginástica Íntima.