As borboletas morreram, amor. Só isso.

Já não tenho amor pra nós dois. Preciso guardar um pouco pra amar a mim mesma e conseg

image

Vou embora. Eu queria te avisar para você se preparar, mas não consegui. Amanhã quando você acordar eu já terei partido.
Já arrumei minha mala, minha bagunça, minha dúvidas e meu coração. Tirei minhas coisas aos poucos pra não te machucar, ou pra não me machucar mais. Tinha certeza que você nem ia perceber.
Ontem não te dei um beijo de bom dia. Você vai sentir falta. Certeza.
Você não gosta de mudanças. Não vai entender meus motivos, então eu decidi não perder nosso tempo explicando.
As borboletas morreram, amor. Só isso.
Você nem sabe, mas desistiu de mim primeiro. Pequenas coisas, pequenos detalhes. Uma imensidão de pequenas mágoas amontoadas junto com a louça do jantar. Aquela que a gente sempre empurra pra frente esperando o milagre delas se resolverem sozinhas.
Você desistiu de tentar entender meu olhar triste, meu novo corte de cabelo que era só pra te agradar, meu sorriso cada vez mais contido…
Você nem percebeu que eu estava indo embora. Um pedacinho de cada vez.
Eu vou embora sem me despedir… Você não sabe quantas manhãs acordei decidida a sair e desisti. Ainda me apaixono todo dia pela paz de te ver dormir.
Mas dessa vez planejei tudo.
Essa noite faremos amor. Como não fazemos há muito tempo.
E quando você pegar no sono eu vou sair sem olhar pra trás.
Já não tenho amor pra nós dois. Preciso guardar um pouco pra amar a mim mesma e conseguir recomeçar.
Seja feliz meu amor. Eu também serei.

 

*Photo via VisualHunt.com

 

 

Clara é escritora, divorciada, mãe, apaixonada, feliz. O seu maior prazer é deixar as palavras brincarem na sua cabeça e assumirem o controle. Recomeça todos os dias, se equilibrando em mágoas e amores.