Assédio moral e psicológico - Aprendizados com o BBB, Marcos e Emily

A manipulação do agressor é geralmente silenciosa e faz VOCÊ se sentir “provocando” ou a errada da situação.

hand-1832921_1920
Pixabay

Há 17 anos o BBB apresenta grupos de pessoas dispostos a apresentar sua verdadeira essência em rede Nacional. Convém mencionar que não quero aqui discutir o mérito de quem assiste ou não este programa, assim como não venho fazer apologia ao feminismo, mas falar de relacionamento abusivo e violência emocional. Vivemos em época de José Mayer e Marcos Harter do BBB, e por isso voltamos a falar de agressões, abuso e violência. Neste caso específico, quando isso ocorre no relacionamento amoroso, homem mulher, de Marcos e Emily BBB 17. Quero trazer à tona este tema pouco abordado.

Assédio moral e psicológico… a famosa violência emocional… nossa, imagina… nunca sofri isso! Comigo não!

A manipulação do agressor é geralmente silenciosa e faz VOCÊ se sentir “provocando” ou a errada da situação. Inclusive no “gaslighting”, como este fenômeno é chamado, as informações são distorcidas, seletivamente omitidas pelo agressor e a vítima questiona sua sanidade, memória e percepção. Em outras palavras, faz VOCÊ se questionar se não é a causadora de tanta humilhação e massacre da sua autoestima. Talvez estes rótulos sejam pesados, mas sendo mais clara sobre o que acontece, talvez seja isso que você ouça: “você tem que agradecer que eu quis você”, “você não é tão boa quanto a fulana”, “ainda bem que você casou comigo, senão você estaria solteira”, “você faz tudo errado” e finalmente o clássico “ você está louca!”. Ou então te acusa de ser louca e nas brigas você nunca tem razão. E a manipulação é tão eficaz que, com o tempo, você chega a se questionar se não estaria exagerando ou sendo dura demais. O Agressor sente prazer em detonar a autoestima da vítima, de forma consciente ou não.

Não espero que nenhum agressor, que esteja lendo isto, fale: “eu, eu faço isso”. Até porque este é o comportamento esperado, negar. Ou se nunca fez isso com essa intenção, ótimo, mude suas palavras! Se você não quer diminuir sua companheira, converse de igual para igual. Senão isso tem nome: relacionamento abusivo.

Mas enfim, meu objetivo aqui é abrir seus olhos e mais… Além de sermos mulheres, somos mães ou futuras mães. Portanto, eduquem seus filhos. Muitas gerações passaram sem saber isso e sem entender o peso disso e até hoje não entendem. Para não acontecer o que vi hoje, mulheres falando “ela pediu”, “ela passou todos os limites” ou até “claroooo… totalmente justificável, ele não tinha opção”. Claro que ele tinha, pois se a relação não era mais satisfatória, poderia ter terminado. Se ele se sentia tão superior, terminasse e buscasse algo à sua altura. Preste atenção, o machismo mora nos detalhes.

Algumas pessoas devem estar se perguntando: o agressor é sempre um homem e a vítima é sempre uma mulher? Não. Gaslighting não é exclusivo da relação homem mulher, apesar de as mulheres serem culturalmente as mais afetadas. Se você acha que isso não acontece, saiba que é mais comum do que você imagina. Existem mulheres que sofrem isso com seu companheiro e nem sabem, mas um dia se separam com a autoestima lá no pé. Por que será? Anos com sua autoestima sendo massacrada, sem autonomia, terminando por fazer com que muitas mulheres abram mão de suas opiniões. Falamos de opressão e controle.

Sobre o caso do BBB, se você não observou (caso tenha assistido) esses comportamentos no relacionamento dos dois é possível que você esteja com o olhar banalizado ou pensou que era só um casal problemático. Só para deixar uma pulguinha: por qual motivo um homem de 38 anos se envolve com uma mulher de 20? 18 anos de diferença, ok! Até aí podemos dizer ok. Mas analisa comigo, por que ele não se envolveu com a Vivian que aparentemente tem um perfil questionador e que poderia “enfrentá-lo?”

Busque ajuda se estiver passando por isso.

Eduque seus filhos, sobrinhos, netos… esse tipo de violência não pode ser aceito.

Que a mídia, de forma proposital ou pressionada, continue a ser um veículo de divulgação e conscientização.

Quer saber mais sobre Gaslighting? Como surgiu e o que significa? Clique em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gaslighting

Psicóloga, Coach de Relacionamentos, Coautora do Livro “Sem Limites”. Responsável pela empresa Mulheres Descomplicadas. Sou apaixonada por Histórias de Superação e mais ainda das que faço parte. Vivo a minha missão cada vez que ajudo uma mulher a escrever um novo Capítulo em sua vida. Quer saber mais? contato@mulheresdescomplicadas.com.br