Cabocla Mizifio do Passado

O Diabo que te Carregue- Capítulo 45

IMG_8328

Um dia, dia desses comuns como qualquer outro, seu ex chega para ver as crianças, senta, aceita um café. Enquanto ele pega um cigarro, você escorrega os olhos involuntariamente para a sua bunda.

Vamos falar claro: seu ex tem a bunda mais linda que você já viu – e apalpou – nesse mundão de Deus. Firme, redondinha, empinada, macia, nem grande demais nem pequena demais: simplesmente perfeita.

Oh, céus! O que é isso? Compostura, mulher! Você rapidamente se recompõe e exorciza qualquer pensamento carnal em relação ao pai dos seus filhos.

Ele abre a porta de vidro da varanda e senta no chão, metade do corpo dentro de casa, metade fora, incluindo aí a metade que segura e fuma o cigarro.

Desde que vocês se separaram, ele tem deixado o cabelo crescer. Ele tem um cabelo sedoso que, agora mais longo, começa a escorrer pelo rosto e lhe deixa, além de mais jovem, muito, muito bonito. Os olhos também estão mais claros hoje, talvez por conta de uma réstia de sol que os atinge. A barba por fazer lhe caiu muito bem, acrescentou ao visual um quê de rusticidade provocante. Os brincos na orelha esquerda parecem que já nasceram com ele, tamanha a sintonia com o rosto. Hoje ele veste uma calça de lã cinza chumbo e uma camisa também cinza, num tom mais claro. As roupas sociais com o brinco e a barba e o cabelo comprido formam um mix perfeito de descontração e elegância. Oh, céus, ele está um gato! Mas o problema não é ele estar um gato, mas, sim, você achar que ele está um gato e ter ímpetos de arrastá-lo para a cama! Agora!

Como pode? Depois de tudo, tudo o que vocês passaram juntos e tudo o que vocês passaram para se separar, você olha para seu ex e pensa a mesma coisa que pensou no dia em que o conheceu: aqui está um cara por quem eu realmente me sinto atraída.

Pois é, aconteceu. Acontece com quase todo mundo. Você foi apenas mais uma vítima da Cabocla Mizifio do Passado: essa entidade, quando baixa, faz a pessoa se sentir atraída pelo ex, capaz de esquecer que você o conhece bem demais para amá-lo.

Não se desespere: o melhor antídoto para essas horas é retirar do baú algum dia especialmente ruim que vocês tiveram.

Vale tudo: o dia em que ele falou que adoraria morar sozinho, o dia em que você percebeu os olhos dele brilhando por causa de uma certa amiga da época da faculdade, o dia em que ele flagrou os seus olhos brilhando por causa de um certo amigo da época da faculdade.

Vale também mastigar alho cru ou vestir um sapato apertado. Qualquer coisa que te cause desconforto e desvie seu pensamento dos pelos dele saltando pela abertura da camisa.

Seja lá como for, o importante é resistir. A Cabocla Mizifio do Passado pode ser insistente se você ceder terreno a ela. Força, mulher!

Antes que a situação se tornasse insustentável, eis a salvação: as crianças sobem do pátio, onde estavam, e se derramam no colo do pai. Que alegria! Elas estão alegres em vê-lo. Ele está alegre em vê-las. E você está alegre por ver a Cabocla Mizifio do Passado pegar suas trouxas alucinógenas e se afastar, devagarinho. Antes que o vulto dela se perca numa distante névoa roxa, você ainda consegue pensar: “E antes que eu me esqueça: o diabo que te carregue!”

Stella Florence é escritora, autora dos sucessos “Os Indecentes”, "32", “Hoje acordei gorda”, entre outros. Stella é cronista veterana e parceira do Exnap! www.stellaflorence.net