Carta aos namorados de mães solteiras e separadas

Ser chamada de “mamãe” sempre será mais urgente do que ser chamada de “amor”, mas os dois chamados tocam meu coração e me fazem atender prontamente, os dois despertam em mim a vontade de correr ao encontro.

image

Não espero que ame meus filhos como eu os amo, nem que compreenda a maneira que escolhi para educa-los, mas saiba que se souber olhar pra eles com benignidade e paciência, eu serei mais feliz!

Não quero que venha à minha casa com doces e plásticos mil, para conquistar a confiança deles. Fazendo de mim uma mulher feliz, serei uma mãe feliz, e serei melhor só por isso.

Não quero que os ature ou tolere no passeio no parque ou no shopping como algo que você suporta para ter direito à minha atenção depois, eles são parte de mim e podem ser mais divertidos do que imagina.

Entenda que muitas vezes eu os deixo para estar com você, aproveite esses momentos e compreenda aqueles em que todos temos que compartilhar o espaço, com os ruídos deles, choros, manhas, sorrisos e gargalhadas.

Ser chamada de “mamãe” sempre será mais urgente do que ser chamada de “amor”, mas os dois chamados tocam meu coração e me fazem atender prontamente, os dois despertam em mim a vontade de correr ao encontro.

Deixe que meus filhos escolham como querem te chamar, afinal, você é um novo estranho que toma a mãe deles para si e a faz perder a hora, o juízo e razão.

Terá o direito de chamar a atenção dos meus filhos, se você tiver também conquistado espaço afetivo com eles. Se eles te admiram, você terá o respeito natural, e isso será suficiente para que sua autoridade como amigo seja algo respeitoso e não imposto.

Não dispute, jamais, a minha atenção. Ser mãe é uma missão, não posso faltar a ela! Eu levanto a cada ruído, ligo a cada meia hora e jamais vou desligar o celular. Mas saiba que também conto as horas pra te ver e que você resgata em mim a mulher que eu era antes mesmo de ser mãe.

Se você já tem filhos ou não, lembre-se que amor é uma fonte inesgotável. Encontre em minhas crianças algo divertido, dê-lhes apelidos, ganhe delas nos jogos, seja competitivo se quiser, mas seja natural, sempre! Não desconte neles a frustração de estar longe dos seus filhos ou mesmo a impossibilidade de ser pai naturalmente. Eles já existem, estão aqui, precisam de mim e de quem estiver comigo.

Lembre-se sempre que são apenas crianças ou jovens, que não compreendem o mundo como nós. Que têm uma mãe que voltou a viver, se apaixonar, se relacionar, e essa mãe não deve nunca ser punida por ter um passado e frutos dele.

Busque na força que você vê nela, a admiração necessária para alimentar a relação. Sinta-se orgulhoso dessa mulher que trabalha dobrado para ser mãe, dona de casa, profissional e sua namorada. E diga tudo isso, pois certamente ela não ouve um elogio há muito tempo e sempre acha que não dá conta do recado. Permita que ela saiba o quanto ela é forte, e que às vezes isso até te assusta.

Meus filhos são meus até o fim, e se leu até aqui, saiba que se não é capaz de conviver com isso, permita que outro homem, mais maduro e generoso, ocupe o lugar de companheiro desta mulher que mesmo sozinha vigia as crias à noite, mesmo cansada levanta às 6, mesmo com medo troca pneu, mesmo com TPM conta histórias, mesmo com sono arruma mochilas e uniformes, mesmo triste canta para alegrar as crianças, mesmo esgotada faz o almoço, mesmo sofrida tenta amar de novo, e de novo, e de novo… Porque antes de ser mãe, ela já era mulher!

E por fim, apenas lembre que eles precisam dos meus abraços, como eu preciso dos seus. Faça da mãe deles uma mulher feliz, e você terá enteados gratos no futuro, pelos momentos vividos em conjunto!

 

Separada, superada, sem parada! Apaixonada novamente Dois filhos terríveis e lindos Buscando autoestima e autoconfiança Professora e aprendiz, sempre!