DESABAFO DO LEITOR 2

Bem.... agora eu era a louca, a infantil, a que destruiu o castelo. Anos de ausência, e agora eu sou a culpada. Clichê! Relacionamento tóxico que demorei muito a perceber.

image

Quando pensei em me separar, acreditava em um monte de coisas que meu ex nunca iria fazer. Mas, foi só eu falar que queria a separação que em 1 mês, mesmo morando ainda em casa, começou a sair e deixar claro que ia chegar em casa bem mais tarde do que o habitual, para me provocar e desestabilizar as crianças. Dizendo para eu não me preocupar e nem ligar para o celular dele que eu podia constranger quem estivesse ao seu lado. É um umbigo num corpo. Só ele estava sofrendo, só ele estava perdendo, só ele estava no pior momento de sua vida. Foram 20 anos de desrespeito, não ia ser diferente agora. Burro, idiota, canalha. Perdeu a possibilidade de ficar em casa, enquanto não saia a partilha. Na terceira vez, coloquei ele pra fora. Desrespeito, NUNCA MAIS!! Bem…. agora eu era a louca, a infantil, a que destruiu o castelo. Anos de ausência, e agora eu sou a culpada. Clichê! Relacionamento tóxico que demorei muito a perceber. A pessoa fala tanto que você não é boa o suficiente, só mostra seus defeitos diariamente, não te cumprimenta mais, e você acredita que é tudo isso o que merece num relacionamento assim. Mas NÃO! Não merece. Amei mais que a mim. Amei a família, amei o patrimônio, amei o conforto, amei o sexo ruim, amei a foto da família “Doriana”. Só esqueci de me amar. Quem eu era? O que eu gostava? Não sabia. Vagando na infeliz sobrevivência de um não-relacionamento. Apenas dois moradores na mesma casa, dois sócios, dois estranhos. O melhor de mim, ele não imagina, nem de perto. Que pena… só conheceu a minha sombra, meus dias ruins, meu mal humor, minhas lágrimas e o interminável fim de semana numa casa linda de campo e que me deixava eternamente infeliz. Hoje, meu sorriso está mais largo, junto com dúvidas e inquietações e lágrimas que sobrevoam meus dias. Feridas do abandono de tantos anos. Mas, ao lado de amigos leais, vou aprendendo a me conhecer melhor e descobrir um mundo de infinitas possibilidades. E o riso vem, a feminilidade, a capacidade de me descobrir forte e com a coragem para mudar o que for possível. Vida! Recomeço!

O desabafo do leitor é um espaço seu. Chore, xingue, conte sua história. Desabafe! E se não quiser escrever seu nome, não se preocupe. Aqui você pode ser anônimo.