DESABAFO DO LEITOR 9

E o que fazer com toda essa saudade que me invade o peito no meio da noite e me pega desprevenida?

image

E o que fazer com toda essa saudade que me invade o peito no meio da noite e me pega desprevenida? O que fazer com toda essa saudade que insiste em me deixar pensando em você? Eu fico lembrando de você, de todas as coisas boas, e das ruins também. É, até porque você é um misto delas. Só que mesmo tendo vivido tantas coisas boas ao seu lado, às vezes, acho que é melhor focar nas ruins e no quanto foram ruins… Eu não quero ficar lembrando de como era boa tua companhia, nem do teu abraço e muito menos do teu beijo. Ah, e nem daquele teu perfume também, do jeito que você me olhava quando ficava envergonhado, meio sem jeito, quando do nada eu te beijava. Não quero ficar lembrando daquela vez em que você me pediu em namoro na rua ou daquela vez em que… esquece. Acho melhor parar por aqui. Tá vendo? É isso que você faz comigo. Perdi minha linha de raciocínio, mais uma vez. Onde é que eu tava? Bem, é isso, vou focar nos teus erros, em tudo de ruim que aconteceu entre nós, assim talvez fique mais fácil seguir em frente. Pelo menos, é o que eu ainda espero. E, olha , eu sei que também errei. Mas errei em sempre esperar de você o que você nunca iria fazer. Eu errei em sempre querer tudo aquilo que não tinha como acontecer. Errei e continuo errando em te querer. Só me diz o que é que eu vou fazer com toda essa saudade que tô sentindo de você. Porque acho que tentar te esquecer, só vai eternizar você… Tentar te esquecer, só vai te trazer cada vez mais pra perto, mesmo já não estando mais por aqui. Tá tudo bem, meu amor, se nosso amor não durou – da mesma forma que as promessas que você me fez. Talvez seja assim mesmo que as coisas acontecem. Você ama alguém, mas enjoa, desconfia, se cansa… Relembrando nosso percurso, percebo que alguma hora ia ter que acontecer.
Em algum momento nós deixamos de lado tudo que sempre nos importou quando o amor ainda se fazia presente. O cheiro um do outro, as mensagens de bom dia, ligações de boa noite, o pedido de desculpas, os abraços, a vontade de ajudar quando um dos dois precisava. Isso era amor. Hoje é só passado. Claro que um lindo passado, mas como a própria palavra diz: passou. Foi embora e levou junto aquele amor que a gente pensou que fosse sentir pra sempre.
E naquele dia que tudo acabou, comecei a pensar em tudo que estávamos deixando pra trás, quando comecei a pensar que talvez você realmente não me merecesse, quando eu deitei na cama e coloquei a cabeça no travesseiro, quando senti teu cheiro, porque tu fez o favor de deixar teu cheiro por aqui, e ainda fez questão de deixá-lo impregnado em cada pedacinho do meu quarto – sacanagem, sério. Foi naquele dia que eu percebi que, de fato, era você, tinha que ser, e que eu não podia te deixar ir. Pra muitos, talvez não fosse muito tarde pra perceber. Pra mim, foi. E eu te deixei ir. Porque acreditei que tinha que ser assim. Quando lembro da gente, ainda escapa aquele sorriso bobo. Quando lembro do jeito com que você mexia no cabelo, quando lembro do nosso beijo de despedida. Sabe, aquele que rolava lá pelas 12:10hs, quando você ia embora, lá naquela escola. Ah, eu ia embora, mas a vontade de continuar ficava só pra te ter mais, e mais. Teu cheiro na minha roupa, teu beijo, tudo isso ainda tá fresco na minha mente. E quando a saudade aperta, a dor é estridente. Eu não soube aproveitar nosso tempo direito. Ainda havia tanto a ser feito.
Eu e você, e um mundo inteiro a ser explorado. Pra mim, qualquer lugar se tornava um lugar incrível contigo ao meu lado. Ah, quanta saudade daquilo que quase foi. Espero que eu esteja errada ao pensar dessa forma, mas quando se trata de você, eu geralmente não erro. Então se quiser voltar, vem logo. Não vou mentir, eu ainda te quero. A gente começou tudo isso com apenas um objetivo: fazer dar certo. E deu. Por um tempo, deu. Aí a vida aconteceu e, como em qualquer história de amor que se preze, alguma coisa nos afastou. Porque, afinal, sempre tem que ser assim. Ainda lembro como era bom sentir toda aquela ansiedade, aquela expectativa, quando tu mandava uma mensagem: “Tô indo te ver amor.” Meu coração pulava dentro do peito e, quando te via vindo, até perdia o ar por alguns segundos, ficava toda sem jeito sorrindo; mesmo fazendo de tudo para agir normal. E nós estávamos felizes porque estava dando certo, e era isso que queríamos. E foi de tanto dar certo, que deu errado. Tivemos que seguir separados. Esse é o resultado obtido quando se tem a soma de objetivos diferentes e um amor que, supostamente, vai durar pra sempre. Me sobra tempo, mas falta vontade. Depois de ler que tudo tinha acabado, as coisas nunca mais foram as mesmas.
A vida segue, as aulas continuam, nada aqui nessa cidade parou, exceto eu e isso ninguém nunca entende. Não tenho mais aquele apetite para sentar em um bar com essa gente que só sabe falar sobre o quanto a vida é boa e fácil. Só se for pra eles. Porque a minha tá é dificílima.
Acordar em um domingo nunca foi tão ruim, mas agora tá sendo – e muito. Não pedi pra você ir embora sem mim, mas você foi e como é que eu fico agora? Na boa que não, isso é fato. Fico é aqui pensando na hora de você olhar o celular e pensar \”Opa, que tédio, vou ligar e perguntar se ela não quer conversar\”. Eu quero sim, tá. Conversar quantas horas você quiser. Porque enquanto você tá aí estudando pra passar em uma prova, eu tô escrevendo sobre o quanto não merecia que você tivesse me deixado sozinha. E não ouse me dizer que existem muitos peixes no oceano ou qualquer outro clichê ridículo que você venha lembrar. Eu não quero peixe nenhum se não for você e falo isso com toda a convicção. Quando você ainda estava aqui, até de segunda-feira eu gostava de acordar….Isso deve ser doentio, né? Quem é que gosta de acordar segunda-feira às sete da manhã? Eu gostava, porque sabia que era mais um dia pra você estar do meu lado, mais um dia vendo seu sorriso e ouvindo sua voz dizendo que me amava. Amava no passado mesmo, porque se ainda amasse não tinha jogado no lixo tantos meses de convivência e carinho mútuo. Eu só quero é ver o dia de você parar para perceber que o meu amor era só seu e você simplesmente desperdiçou ele todinho.
Nesse dia eu tenho a sensação de que nem vou estar mais apaixonada por você. Ainda bem, viu? Ainda bem que você vai receber o troco por ter me feito tão mal assim. Nesse dia, eu vou estar com outro cara. Ou não. Tanto faz.

O desabafo do leitor é um espaço seu. Chore, xingue, conte sua história. Desabafe! E se não quiser escrever seu nome, não se preocupe. Aqui você pode ser anônimo.