DICA DE VIAGEM PNM – DICA #2: PETAR

Desta vez vamos falar sobre o PETAR e a exuberante natureza e infindáveis cavernas da região.

15281076_1204735082940647_1973851007_n

Olá aventureiras do portal EXNAP! Prontas para mais uma sessão de dicas de viagem e muito contato com a natureza?

Desta vez vamos falar sobre o PETAR e a exuberante natureza e infindáveis cavernas da região.

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) foi criado em 1958 e é considerado um dos mais antigos parques do Estado de São Paulo. O parque abriga espécies típicas de matas primárias, como a canela, o cedro e uma das espécies mais importantes da Mata Atlântica – o palmito juçara, que teve sua extração proibida na região pela forma predatória do extrativismo.

Mas o parque não é conhecido apenas pelo seu ótimo estado de conservação, e sim por abranger as formações espeleológicas mais importantes do Brasil, com mais de 300 cavernas cadastradas pela Sociedade Brasileira de Espeleologia.

Das 300 cavernas catalogadas, apenas 12 estão abertas para visitação turística, e algumas outras poucas somente podem ser visitadas com autorização especial do parque e com caráter de pesquisa. Enquanto que a sua grande maioria continua totalmente preservadas.

Existem 4 Núcleos de Visitação no parque, todos criados para facilitar o controle de acesso dos visitantes e para proteger o rico patrimônio ambiental.

O Núcleo mais famoso para visitação é o Núcleo Santana que pode ser acessado do bairro Serra, na cidade de Iporanga. Dentro do núcleo recomendamos visitação das cavernas: Santana, Morro Preto e Couto, além da cachoeira do Couto.

Também é possível fazer a trilha mais bela do PETAR, conhecida como trilha do Betari, que possui 7 km de extensão (ida e volta) e contorna / cruza o rio Betari por diversas vezes tornando o passeio agradável e molhado! Nesta trilha é possível visitar a caverna da Água Suja, do Cafezal além das imponentes e belíssimas cachoeiras das Andorinhas e Betarizinho. Prepare-se para um dia inteiro de passeio.

Ainda vale citar outras cavernas belíssimas da região do Núcleo Santana como a caverna do Ouro Grosso (imagine-se tomando um banho de cachoeira dentro da escuridão absoluta de uma caverna!), a caverna do Alambari de Baixo e o divertidíssimo boia-cross no rio Betari.

Os demais núcleos também valem muito a pena serem visitados, onde destacamos a caverna Tememina no núcleo Caboclos (próximo a cidade de Apiaí) com seu conjunto de grandes salões e claraboia (trecho onde o teto desmoronou) e que por consequência formou uma espécie de nova floresta e vegetação dentro da própria caverna, além da famosa formação do “chuveiro”. Ou então ainda a visita ao núcleo Casa de Pedra (próximo ao bairro do Ribeirão em Iporanga), onde é possível fazer uma trilha para avistar do alto a Caverna da Casa de Pedra, a caverna com o maior pórtico do mundo (registrado no Guinness Book). São cerca de 215 metros de altura.

Nós recomendamos a visita e hospedagem no bairro Serra na cidade de Iporanga onde concentra-se o maior número de visitantes e de atrativos da região. Além de realizarem todas as visitas com guias e monitores do local (o que é obrigatório). Procurem pelo guia chamado Ditinho, que é um senhor morador da região, nascido e criado no meio de todas as cavernas e belezas exóticas da região e que por si só já é um show a parte!

 

Gostaram das dicas? Todos estes passeios e viagens são possíveis de se realizar. E se ficaram realmente interessados, aproveitem e visitem o nosso website, pois teremos uma Expedição bem divertida para a região no Carnaval 2017. Entrem em contato conosco e façam a sua reserva!

Nos vemos mais por aí em nossas dicas periódicas de viagem!

Silvio Alves Junior
Pé no Mundo Adventures
www.penomundo.com.vc
contato@penomundo.com.vc

Facebook: www.facebook.com/penomundoadventures
Instagram: @penomundoadventures
Vimeo: www.vimeo.com/penomundoadventures

Silvio é empresário e entusiasta dos esportes de aventura em geral. Criador e fundador da empresa Pé no Mundo Adventures começou com expedições e aventuras em 2008 e de lá não parou mais. Vive à risca seu grande e maior lema: #vivaintensamente