E finalmente, existe mesmo esse tal de AMOR?

Perdeu a fé no amor? Não o encontra mais? Talvez esteja procurando no lugar errado.

16436597548_fb5ac67e97_b

Fiquei um tempo olhando o papel e pensando em como escrever sobre essa dúvida que passou a assolar a humanidade depois que casais famosos resolveram se separar.
Existe amor?
Será?!
Não consigo nem pensar na hipótese de perder meu tempo tentando convencer alguém de que existe amor. Ele existe. Pronto. Esse é o meu único argumento.
Por que?
Porque sim.
A questão é que amor acaba. Como tudo, tem um começo, um meio e um fim.
Ele é finito. E não dura para sempre como nos contos de fadas.
A finitude do amor assusta. Talvez pelo tamanho do esforço necessário para conhecer alguém, se apaixonar e finalmente amar.
Relacionamentos são difíceis e exigem muito (muito mesmo). Amizade, lealdade, dedicação, altruísmo, companheirismo… Uma dose extra de coragem e muitas doses de paciência.
E talvez acreditar que é pra sempre seja a única forma de não ter medo de tanta entrega, e da dor que pode surgir caso as coisas não aconteçam como planejado…

Ninguém sabe o que existe depois do felizes para sempre. Ninguém sabe se a Cinderella não enlouquecia o príncipe com sua mania de limpeza ou se ele roncava e não gostava muito de tomar banho. Nem se a Bela Adormecida fingia estar dormindo pra não ter que lidar com o Sr. Encantado e se a Branca de Neve não percebeu que era mais feliz com os 7 anões.

Na vida real, relacionamentos acabam.
Fim.
E com ele, na maioria das vezes, com todos os seus desgastes e mágoas, o amor acaba também.
Mas não deixa de existir.
Tanto existe que logo buscamos outro amor pra preencher o vazio no peito.

Entendo que as pessoas precisam de ídolos e exemplos pra se espelhar. Entendo que o fim de um amor assistido por milhões incomode os olhos e outros sentidos. Entendo que pareça que foram seus amigos ou heróis que findaram. Mas não foram. Foi apenas mais um amor que sucumbiu à rotina, aos problemas, a falta de cuidado. Ou foi apenas um amor que foi inundado e invadido por outro amor, águas mais profundas e ondas mais altas.

Não existem culpados, nem vítimas. Não precisa de motivo ou razão.
Não existe um assassino sem coração que merece ser afrontado por todos.

Amor existe. Eu sinto. Eu vejo. Eu respiro.
Em cada sorriso, em cada história compartilhada e cada futuro construído junto.

Perdeu a fé no amor?
Não o encontra mais?
Talvez esteja procurando no lugar errado. Tente no colo de uma amiga, no abraço de mãe ou no espelho. Ele está lá.

Clara é escritora, divorciada, mãe, apaixonada, feliz. O seu maior prazer é deixar as palavras brincarem na sua cabeça e assumirem o controle. Recomeça todos os dias, se equilibrando em mágoas e amores.