E se ele não gostar do meu novo corte de cabelo? O que eu vou fazer? Nada!

Amor próprio deve ser isso. Uma força maior que nos impede de nos perdermos dentro de peitos inabitáveis.

6950955471_d40bc9bae5_c

Ontem eu ouvi: “Por que você mudou o cabelo? Não gostei. Seu namorado gostou?”

E foi então que eu percebi que nunca perguntei a ele. Respondi que não sabia. E que, sinceramente, não me importava. Eu gostei. Estou feliz assim.

Não é verdade que eu não me importo com a opinião dele. Me importo por que o respeito muito. Mas só peço opinião dele para coisas realmente importantes que vão afetar nós dois, e meu corte de cabelo interessa apenas a mim mesma.
Mas não foi sempre assim. Percebi o quanto eu cresci e o quanto a maturidade é uma coisa sensacional.
Fui pra casa ainda mais feliz com o meu cabelo. Não agradei a maioria. E dai?

Quantas e quantas vezes em outros relacionamentos moldei a minha vida, até nos mais irrelevantes detalhes, pelo gosto do outro. Cor de esmalte, tamanho da saia, cor de cabelo.

Quantas vezes precisei me reinventar ao entender que me perdia de mim toda vez que me afastava dos meus gostos e prazeres.

Quantas vezes perdi músicas, shows imperdíveis de bandas que eu amava, perdi amigos,  prazeres e a  vontade de me fazer feliz?
Até que fui ia tão longe de mim mesma que o outro perdia o interesse. E mais uma vez, lá estava eu, sozinha e perdida.

Amor próprio deve ser isso. Uma força maior que nos impede de nos perdermos dentro de peitos inabitáveis. Quem ama não quer que o outro mude. Simples assim.

E como já dizia Frida Kahlo,

“Onde não puderes amar, não se demore”

Hoje não consigo nem imaginar amar alguém mais do que amo a mim mesma. Preciso me amar para permitir que o outro enxergue tudo de bom e de imperfeito em mim!
Amor próprio cresce com o tempo. Ou deveria crescer.
A gente aprende com as porradas que toma por aí. Ou deveria aprender.
E a vida segue. E eu seguirei mudando meu cabelo quando eu quiser!

 

 

Siga Clara Stark também no facebook.com/sempreclara/

 

Clara é escritora, divorciada, mãe, apaixonada, feliz. O seu maior prazer é deixar as palavras brincarem na sua cabeça e assumirem o controle. Recomeça todos os dias, se equilibrando em mágoas e amores.