E se você cria expectativas?

Quero te falar exatamente daquele relacionamento (se é que posso chamar assim) em que só você está aberta, encantada, apaixonada e... criando expectativas!

image

Quem nunca se encantou no início de um novo relacionamento? Borboletas no estômago, lembranças daquele último encontro. Ai ai…. Você percebe que está envolvida quando coloca a cabeça no travesseiro e é ele que vem nos pensamentos e antes de dormir. Seria maravilhoso (como às vezes é) se ele também estivesse assim, completamente encantado por você. Mas não é disso que eu quero falar hoje! Quero te falar exatamente daquele relacionamento (se é que posso chamar assim) em que só você está aberta, encantada, apaixonada e… criando expectativas!
Tá bom, pode ainda existir aqueles relacionamentos que antes de beijar já é namoro, mas vamos ser realistas, hoje em dia isso está cada vez mais incomum. Existem as preliminares do namoro para ele se concretizar de fato. Eu tenho certeza que é um processo natural da evolução dos relacionamentos. Pensando bem, ninguém em sã consciência está disposto a dar a cara à tapa tão facilmente.
Nós mulheres temos um ativador no cérebro, que eu não entendo bem quem foi que criou esse botão. Brincadeira! Entendo sim! Foi, e ainda é, a sociedade machista e patriarcal que ensinou que mulher pra ser mulher, tem que casar, ter filhinhos, maridinho, cachorrinho, … ser linda e feliz – e antes dos 30, por favor. Então querida, se você tem mais de 31 anos o botão ativa automaticamente. E ai você não entende porque o tal relacionamento não deu certo, porque afinal de contas estava indo tudo tão lindo!
Sim!! Estava tudo indo lindo dentro da sua cabeça, nos seus pensamentos projetados para uma relação de conto de fadas. Talvez você já tenha saído desse relacionamento, e parou pra analisar o que deu errado. E talvez, você consiga perceber, ou talvez, não tenha entendido nada até agora.
Quando se cria expectativas projetamos uma ilusão mental do que desejamos e queremos. O problema é que ao projetar, você fica presa (podendo ser inconscientemente) num futuro, se desconectando do presente. Não estando presente, simplesmente não se consegue prestar atenção nas evidências do relacionamento. Não estará atenta às respostas visuais e cinestésicas que o parceiro dá! Isso mesmo, o cara vai te dar sinais, que não são imperceptíveis, se está ou não a fim.
Criar expectativas gera frustração e uma série de conflitos emocionais. Começa um bombardeio de pensamentos negativos que surgem pra justificar o porque o relacionamento não deu certo. E você tenta de todas as formas buscar essas respostas no seu comportamento, no modo de vestir, andar, falar… enfim, somatizando evidências infundadas para acabar de vez com sua autoestima. Sendo que na verdade, era simplesmente o cara que não queria nada com nada. Mas por favor, não se martirize por não ter enxergado isso antes. E sim, fique feliz porque foi a última vez que seu pretendente era uma fantasia.
Deixa eu te contar! Há um tempo atrás, eu conheci com um cara, o X (vou chamá-lo assim para não causar nenhum transtorno compulsório existencial ativador de traição). X, um cara super bacana, bom de papo, um querido. Um certo dia, X se cansou somente das conversas e me pegou de um jeito completamente estonteante (sei que você sabe bem do que estou falando)! Conversa vai… mais alguns encontros e… no sexto encontro, envolvida pelo feromônios, ‘entregamos-nus’ àquela paixão. Uhum!!! Durou pouco, porque naquele momento X só faltou esfregar na minha cara que era comprometido. Voltou um filme da minha mente, e então percebi os sinais que ele tinha me dado de que era casado. Tipo: adiando um encontro público em alguma sexta à noite, o fato de não mandar um Oi no meio da tarde ou da manhã… entre outras coisinhas mais! OK!!!! Ele de cara já havia mentido que morava com a mãe, e blá blá blá. Foi aí que percebi que eu estava criando expectativas! Mas que durou até ele sair pela mesma porta que entrou! Até perguntei se tinham relacionamento aberto, mas com a negativa veio com a pergunta: “Como assim!!???”. Só pensei: “Galinha dessa espécie come aqui nesse terreiro não, amor!”
Então garota, o que quero dizer é que estar presente, vivendo o aqui e agora, o hoje, de braços abertos pra esse momento, é a melhor coisa que você pode fazer por você mesma. Sem fantasias, ilusões e contos de fada.
Toda vez que for ao encontro daquele cara, esteja atenta! No começo pode ser que tenha que se dedicar mais à atenção, mas com o tempo isso vira um hábito. Antes de ligar, encontra-lo pessoalmente ou iniciar uma conversa por mensagem, diga a você mesma: “_ Querida, quero que você esteja presente, atenta a conversa, para que tudo flua exatamente bem. Com muita naturalidade e amor próprio”.
Sei que a partir desse momento tudo ficará mais claro pra você, e assim poderá ter mais convicção de onde está pisando. E sem criar expectativas poderá viver um dia de cada vez, construindo passo a passo um relacionamento maduro, sólido e, o mais legal, baseado em fatos reais. Tome essa atitude agora! Alimente somente sentimentos bons! Construa relacionamentos de verdade!

Pri Castro é libriana, goiana pelo destino e do mundo por opção. Faz a vida ser mais colorida sendo terapeuta practitioner de EFT (certificada pela AAMET), palestrante, consultora e trainer em Empoderamento Feminino, orientadora de meditação e representante InCiclo®. Especialista em Bloqueios Sexuais, trabalha pela a Liberdade Emocional e Sexual das mulheres. Skype:pri.castro4 E-mail: atendimentos@pricastro.com.br