Feliz dia da criança que mora em você!

Na correria do dia a dia, na lida com tantos afazeres e tantos compromissos, nos esquecemos da nossa criança interna...

img_3235

Mês das crianças no Brasil! Não há melhor época para se encontrar com sua criança interior. Vamos lá?

“Em todo adulto espreita uma criança – uma criança eterna, algo que está sempre vindo a ser, que nunca está completo, e que solicita, atenção e educação incessantes. Essa é a parte da personalidade humana que quer desenvolver-se e tornar-se completa”
Carl Gustav Jung psquiatra suiço

Na correria do dia a dia, na lida com tantos afazeres e tantos compromissos, nos esquecemos da nossa criança interna, de nutrí-la , de nos aproximarmos dela o suficiente para conseguirmos aprender com o que ela tem a nos dizer.

Dentre as várias formas de contato com nosso eu mirim, alguns estudiosos do campo da psicologia sugerem esta dinâmica para começarmos a explorar a nós mesmos:

…” Visualize seu quarto de dormir quando pequeno. Lembre-se de como era o seu quarto, as cores, os objetos e o cheiro. Veja sua cama e você dormindo nela. Aproxime-se, passe a mão nos cabelos da sua criança interior e acorde-a. Olhe bem em seus olhos e pergunte a ela o que mais quer e precisa. Ouça a resposta. Depois diga a ela que está a seu lado sempre e que a ama muito. Abrace-a fortemente. Permita-se sentir a emoção deste momento…”

E isso é só o começo de uma viagem que pode nos proporcionar estarmos perto de nossa fonte de criatividade e espontaneidade. Para aguçar todos os seus sentidos, busque começar este trajeto com uma foto sua daquela época. Sem medo, embarque rumo a sí mesmo.

Profissionais que atuam nesta área , como os psicólogos, afirmam que cuidar de nossa criança interior, estar em contato com ela e frequentemente revisitá-la propiciam ao adulto uma recarga no que vamos perdendo da pureza pueril à medida que nossas vivências vão sendo deturpadas ou agredidas pelo meio em que nos desenvolvemos.

Nos momentos de dor, como em uma separação, desilusão amorosa ou qualquer outro momento difícil que passamos na vida adulta, precisamos resgatar essa nossa criança e fazer uso dos seus aprendizados e ensinamentos. Crianças lidam com dificuldades de forma diferente dos adultos. Choram, se desesperam, mas sabem que, de alguma forma, tudo vai passar. Passa. E com leveza, uma criança começa e recomeça quantas vezes quiser.

Podemos concluir que cuidar com gentileza de quem fomos nos permite depurar o que nos tornamos na vida adulta. E quem ganha com isso? Todos os que convivem conosco, e acima de tudo, nós mesmos!

Feliz dia das crianças!

Vanessa é mãe em tempo integral, além de psicopedagoga e pesquisadora do psicodrama, da psicomotricidade e da aprendizagem humana. Divorciada, trabalha em uma escola internacional em São Paulo como educadora e, pelas inquietações da vida, fundou com amigos uma associação socioeducacional chamada FabricAções. Em seus textos publicados aqui, procura partilhar alguns dos tijolos necessários para as pontes que precisamos construir entre adultos e crianças no que diz respeito à aprendizagem para a vida. vanessameirelles@fabricacoes.com.br