Guerra e Paz. Uma história de câncer, separação e recomeço.

Olhando pra ela não vi nenhum sinal de tristeza. Nem autopiedade, nem insegurança ou medo. Ela é incrivelmente forte. Está nos olhos. No sorriso largo. No brilho das palavras que ela usa pra contar sua história. Câncer de mama aos 27 não é uma guerra fácil. Nem é pra qualquer uma...

image

Olhando pra ela não vi nenhum sinal de tristeza. Nem autopiedade, nem insegurança ou medo. Ela é incrivelmente forte. Está nos olhos. No sorriso largo. No brilho das palavras que ela usa pra contar sua história.
Câncer de mama aos 27 não é uma guerra fácil. Nem é pra qualquer uma.
Ela venceu. Não existia outra alternativa. Era lutar ou lutar. Então ela lutou. Bravamente. Como pode.
Com as armas que tinha. Amor, amigos e fé.
Ouvindo sua história não tem como não se comover. Não tem como não derramar lágrimas teimosas… Que vem pra fazer companhia às lágrimas dela.
Ela é incrivelmente linda. E tem vida que sai por todos os poros.
Aos 27 descobriu o câncer, depois de 6 meses de angústia. Descobriu um nódulo, sentiu pontadas. Ouviu do namorado médico que não era pra se preocupar. Não era grupo de risco. Estava neurótica! As críticas não apagaram a angústia. Um dia teimou mais forte! E lá estava o diagnóstico! Câncer. O inimigo mais assustador. “Vou morrer”, perguntou aflita… Não. Não vai.
O namorado que antes era briguento e até mesmo grosseiro se tornou um cara encantador. Protetor, carinhoso. Seria culpa por não ter acreditado nas suas “paranóias”? Não importava. Nada podia ser melhor naquele momento, do que sua mão forte segurando a dela antes da cirurgia. Nada!
Ele tirava o medo.
Cirurgia de retirada de mama, Químio, Rádio. Ele estava lá. Ele raspou sua cabeça.
Quando tudo acabou, ele foi junto. Pouco tempo depois ela descobriu a traição. Por que?
Então veio a depressão. Solidão. Medo. Insegurança. Autoestima devastada.
Não entendia como alguém poderia ter destruído uma história de amor e parceria, com mentiras e traições.
Talvez ele não conseguisse mais enxergar a mulher por trás da paciente. E ela queria um homem, ainda que precisasse tanto de um médico. Desequilíbrio. Desencontros.
Mas ela não viu… que a guerra era dela. E ele era um fraco. E sua fraqueza ficou ainda mais latente perto da força dela.

Porque ela é incrivelmente forte.
Mas doeu. Como não doer?
Mas passou. Como tudo sempre passa. E ela recomeçou ainda mais forte. Recomeços….
Ela agora tinha sede de vida. Ela era livre de medos.
Ainda se emociona com sonhos guardados, com a maternidade que ainda não veio. Com a insegurança de transar vestida, só pra não precisar contar sua história. Vergonha? Não. Ciúmes! A guerra é dela! A história é dela e ela não divide com qualquer um.
Hoje ela tem tatuada uma borboleta onde antes eram cicatrizes! Asas. Recomeços. Vida.
Ainda mais força.
Ela é assim. Incrivelmente feliz.
E eu só agradeço a enorme honra de poder ouvir suas histórias de guerra e paz.

Serviço:

O estúdio Led’s Tattoo faz sessões grátis para mulheres que tiveram câncer de mama (confira endereço abaixo). É preciso ligar e marcar. São 10 horários reservados por mês, mas em outubro a equipe reservou 20 espaços na agenda. Durante o Outubro Rosa, são feitas campanhas em todo mundo para alertar sobre a importância da detecção precoce do câncer de mama.Quem estiver com pressa, o custo fica por volta de R$ 700. Além da tatuagem da aréola, também está disponível a aplicação da técnica para melhorar o aspecto da cicatriz.

Led’s Tattoo
Endereço: Avenida Ibirapuera, 3478 – Moema
Telefone: (11) 5561-2351
www.ledstattoo.com.br

Em uma conversa entre amigas, Ana e Juliana, ambas separadas e Aline, casada, falavam de divórcio e de como esse assunto ainda é visto como um tabu. Existe (acreditem!) muito preconceito e clichês. E só sabe isso quem vive ou viveu um divórcio.