A chegada da madrasta na família

A madrasta nunca deve ocupar o lugar da mãe. Mãe a criança já tem.

laughter-laugh-fun-mom-daughter-teenager-family

Uma dúvida muito comum quando o pai começa a namorar é como contar aos filhos sobre o novo relacionamento. É muito importante que o pai tenha segurança de que o relacionamento está estável. Não é bom apresentar uma nova namorada de tempos em tempos. No início, se a criança tiver até 8 anos pode ser a amiga do papai, e em seguida contam que a amizade deu tão certo que estão namorando. Crianças mais velhas não precisam de uma introdução mais amena, podem receber a notícia real desde o início.

A criança precisa perceber que a chegada da madrasta não a exclui do dia a dia do pai. Portanto é importante que a rotina permaneça a mesma dentro do possível. A madrasta deve chegar para somar.

Muito se espera do papel da madrasta, mas o segredo do sucesso está nas mãos do pai. Ele é quem mais precisa conduzir a situação com maturidade. Ele deve impor regras, limites e rotina para seus filhos. É comum o pai ter dó da criança por ela ter os pais separados, por ele dar à ela uma madrasta e quando isso acontece, muitas vezes esse pai não fala “não”. Fica insustentável para uma madrasta, conviver com uma criança que não tem um pai que a educa.

Quando isso acontecer, é fundamental que a madrasta tenha muita paciência e não brigue ou critique seu namorado. Ele precisa de ajuda para perceber que a criança espera que o pai cuide dela, mesmo que seja apenas em finais de semanas alternados. Ele pode ficar inseguro em ser firme e a criança não gostar mais dele e será exatamente o contrário. A criança se sentirá segura ao perceber que o pai cuida e se preocupa com ela.

Nos dias de hoje é comum que o pai tenha o desejo de ter mais tempo com seus filhos, queira inclusive a Guarda Compartilhada. Então, desde o início, é importante que a madrasta saiba que terá que compartilhar o tempo com as crianças e poderá, um dia, tê-las morando em sua casa.

A madrasta nunca deve ocupar o lugar da mãe. Mãe a criança já tem. A madrasta fará parceria com o pai quando as crianças estiverem em sua casa. Pode ser que a mãe pense e faça tudo diferente e tudo bem. Essa é a mãe que a criança tem. A madrasta terá seus filhos um dia e então será a mãe que seus filhos terão.

Muitas mulheres não nasceram para serem madrastas. Essa é uma tarefa que pode se tornar bem complexa no dia a dia. Para isso existe a etapa do namoro. Fiquem bem atentos nessa etapa. Porque se não for legal, não precisam levar o relacionamento adiante.

Roberta Palermo é Terapeuta Familiar e autora dos livros: Madrasta Quando o Homem da sua vida já tem filhos Ed. Mercuryo/ 100% Madrasta-Quebrando as Barreiras do Preconceito Integrare Editora/ Babá/Mãe Manual de Instruções Ed. Summus/ Ex-Marido Pai presente, dicas para não cair na armadilha da alienação parental http://robertapalerm8.wix.com/robertapalermo#!home/mainPage