MINHA VIDA NUM FLASH

Começa a angustia da tal da felicidade. O coração quer bater. Tá faltando algo. Não pode ser só isso. A idade tá chegando. As experiências não vieram. E se a vida for só isso? Cadê história pra contar? Nenhuma aventura, esquisitice, loucura, grande realização? Nada!

flash
Photo by Josh Boot on Unsplash

Oi! Sou Lucimar, ou apenas LU. Tenho 52 anos. Dois filhos e um enteado. Sou casada pela segunda vez e até 5 anos atrás tinha uma vida burguesa, classe média, de cor nude. Sabe aquele bege cor de pele?  Isso mesmo. Vou te contar rapidinho. Ah, sou capricorniana, prática, destemida, não tem parada que eu não resolva. Mas tenho um coração adolescente que anseia por experiências. Gosto de gente. De prosa. De carinho. De intimidade e conexão. Sabe coração mole e peito farto? Tipo isso. Vamos pra história.

Casei com meu 1º namorado. Conheci aos 14. Casei aos 23. Primeiro tudo na minha vida. Bonito que só. Apaixonada até. Fizemos a vida: filhos, bens, luta pra sobreviver sem ajuda. Pais ferrados. Parceiros de luta. Amigos. Casamento em segundo plano sempre. Relação morna, nude. Vida de sacrifício. Objetivos para longo prazo. Foco no trabalho e na carreira. Sem tempo para desfrutes. Repressão em tudo na minha vida. Não sou o que sou, porque o que sou não é o bastante. Sou o que projeto, o que aparento. Vivo um personagem de comercial de margarina. Tenho um homem bom. Um homem bom… O que mais se pode querer? O tempo passa. A vida meio consolidada. Família se forma. Carreira conquistada. Já temos casa e carro.

Começa a angustia da tal da felicidade. O coração quer bater. Tá faltando algo. Não pode ser só isso. A idade tá chegando. As experiências não vieram. E se a vida for só isso? Cadê história pra contar? Nenhuma aventura, esquisitice, loucura, grande realização? Nada! Me sinto arrastando uma relação falida. Nós não temos nada. Não aconteceu nada. Somos assim tal qual amigos ou primos. Tá sofrendo todo mundo. Tô nessa já há oito anos! Isso mesmo,  procurado o cadê desta relação a oito anos! Tempo demais. Isso não vira.

Decisão. Ruptura. Agonia. Muita merda pra limpar. Filho nas costas. Dinheiro nenhum. Amigos se foram. Lagarta virando borboleta. É frio, é escuro, é apertado… oprime, sufoca, enlouquece….

Casulo se rompe! Transição. Encontro comigo mesma. Não me reconheço. Onde eu andava? Balanço da vida. Tô madura! Tô com cicatrizes. Sombra de mim. É, o prazo tá acabando. A tal da coroa “nem- nem” – nem nova e nem velha. O que sou? Quero peitos bonitos  e não quero varizes. Não tô curtindo o corpo. Arranca tudo. Põe outras coisas.  Quero uma tatoo. Sempre quis. Gasto meu dinheiro comigo. E compro frivolidades. Ai como é bom ter coisinhas e besteirinhas. Nunca tinha. Sempre o dinheiro bem gasto

Novo amor! Boca seca, olho que brilha. Eletricidade percorre o corpo. Arfar. Desejo. Devaneio. Vontade de se fundir no outro. Pára a vida.. Ai,  Só quero ele! Tô apaixonada! Que merda! Tinha que me apaixonar logo de cara… e a tal da aventura que eu quero, construir história?  Ou isso é ótimo? Pois é, se apaixonar de novo e o cara é muito bacana! Mas como isso é possível?! Onde eu estava que não tinha experimentado isso antes? Será que é verdade? E se Deus castigar tanta felicidade?! Posso só ser feliz? Assim e mais nada?  Não tenho nenhum grande problema. Sério isso? Que vazio de problemas! Acho que algo ruim me espreita.

Nos declaramos. Ele também tá na minha e tá com medo também. Vamos reconstruir a vida. Vamos morar juntos? Tô com pressa. Quero lá saber o que vão falar! Já prestei contas demais. Nova família: os meus e o seu. Não teremos os nossos. Nova casa. Outros amigos. Outros hábitos. Outra forma de usar o dinheiro. Reconfiguração em tudo. Parece que resetei…. Ele me ensinou a gostar de cebola e eu ensinei a apreciar Lulu Santos.  Chega um projeto nos Estados Unidos. Sonho da vida dele. Nove meses fora. Casei mesmo? Juntamos tudo a casa apetou e ele se foi. Saudade. Angústia. Quero ele aqui. Segura a onda, Lu, o cara ta zerando a vida….  Algumas coisas lá azedaram. Ele voltou. Ah, o amor!  Tantos beijos, tantos deleites… A menopausa chegou! Como assim? Pra que a pressa? Por que agora? Mas,  tenho enteado. Tenho sogros, cunhados  e tenho exs. Nunca tinha vivido isso.  O meu ex  e a ex dele. E tem os exs com novos pares e com filhos. O meu e a dele. Meus filhos ganham umas espécies de irmãos. Os meus e o dele.  E eu tenho genro, agora. Já já tenho nora.

E agora, o que vem?

Mãe, esposa, boadrasta, mulher e FELIZ! Foi lagarta, hoje é borboleta. Atua como Consultora em Educação Corporativa há 25 anos. Professora, palestrante e instrutora. Mestranda em Gestão do Conhecimento - ESPANHA; Pós Graduada em Gestão de Pessoas - PUC/RJ, terapeuta Holística - UNIPAZ/SP; Pós Graduação em Psicologia Positiva - IPOG/SP Psicóloga, Coach e Mentora.