Nossa, eu nunca fiquei assim antes!

Um rompimento, uma separação é um final de ciclo, mesmo que para uma das partes seja ou não o desejado. E não importa o tempo que tenha durado, o fim de um relacionamento causa dor, desequilíbrio, perdas e a necessidade de reestruturação interna e externa.

imagemsemusotronco

Uma dos aspectos que permeia a vida humana é o relacionamento. Seja ele mais profundo ou superficial, acontece na vida da grande maioria das pessoas.
Há um investimento de energia, tempo, dedicação e com isso uma troca.
Criam-se elos que podem ser de natureza diferente, como amor, dependência financeira, segurança e outros.
Um rompimento, uma separação é um final de ciclo, mesmo que para uma das partes seja ou não o desejado. E não importa o tempo que tenha durado, o fim de um relacionamento causa dor, desequilíbrio, perdas e a necessidade de reestruturação interna e externa.

Cada um vai lidar com a situação de uma forma, não há receita. Existe uma complexidade de sentimentos, pensamentos e atitudes que nunca foram experimentados, mesmo que já tenha acontecido uma separação anterior. Uma situação é única e vivida ineditamente. Quantas vezes você se imaginou num contexto, e quando ele aconteceu, sua reação foi outra?
O mais importante é perceber que a separação é um momento de luto onde mudanças acontecerão. O sentimento de perda turva a percepção de que as etapas da vida deixadas pra trás, foram assimiladas e trouxeram crescimento.
É preciso paciência, a verdadeira ciência da PAZ. Quanto mais se luta contra os sentimentos, menos eles se resolvem.
Aceitar, acolher, confiar são coisas que parecem impossíveis em determinados momentos. Pedir ajuda também. Um profissional pode ser muito útil nesse
processo. A depressão acontece em muitos casos de separação conjugal, não necessariamente logo em seguida. Podem se passar anos. Uma tristeza profunda e por tempo prolongado pode se transformar numa depressão.
O primeiro passo para o crescimento é admitir que precisa de ajuda. Amigos e parentes muitas vezes são fundamentais, porém tem limites.
Busque um profissional que você se sinta a vontade para conversar. No início para alguns não vai ser nada confortável, mas com a elaboração de tudo que está acontecendo, a vida adquire um outro colorido. Afinal, somos muito mais do que a situação atual.

Mônica é psicóloga, buscadora, cinéfila, apaixonada pela vida e pela natureza, estudiosa do ser humano e das suas idiossincrasias. monicaloureiro@yahoo.com