O ato de recomeçar, começar de novo, começar a ser...

Recomeçar não é fácil. Recomeçar implica rever os seus conceitos, aproveitar alguns, jogar fora outros e descobrir novos e isso, em alguns casos pode ser até mesmo assustador.

4809626938_207ea1c802_b (1)

Olá. É um prazer enorme escrever aqui. Então nada como começar falando sobre um tema que é a tônica do site: RECOMEÇO.
No dicionário podemos encontrar algumas definições da palavra recomeçar, então citarei algumas: o ato de recomeçar, começar de novo, começar a ser (essa eu particularmente gostei muito), entre tantas outras. Percebi o quanto uma simples palavra pode ter várias leituras diferentes, e isso me faz pensar que na vida as coisas também são assim.
Recomeçar para muitos pode estar associado a dor, dificuldades, angústia, medo, e aqui eu poderia criar uma lista enorme de sentimentos e emoções bastante difíceis e negativos. Contudo me ocorre que, se é difícil recomeçar para alguns, para outros pode ser a oportunidade de “resignificar” muita coisa e até mesmo COMEÇAR A SER. Mas como assim começar a ser para alguém que já existe?
A vivência de relacionamentos amorosos não nos garante maturidade, equilíbrio, e principalmente autoconhecimento. O que nos proporciona isso, é o trabalho pessoal, adquirido através de diferentes maneiras, como a história de vida, bagagem pessoal e espiritual, histórico familiar, psicoterapia, entre tantos outros. A convivência com o outro não é garantia de crescimento pessoal, nem tampouco de amadurecimento.
Vejo muitas pessoas vivendo relacionamentos que as impedem de existir por si só, e nem sempre o responsável por isso é o parceiro. Observo o quanto é possível anular-se e boicotar-se dentro de uma relação. Muitas vezes é mais fácil culpar o outro disso, no entanto nem sempre é ele o responsável por tudo o que nos acontece, pois também somos responsáveis por nós mesmos e muitas vezes somos nós quem permitimos o aniquilamento de nossa própria existência.
Tudo isso é muito complexo e a explicação desse processo de amadurecimento não é possível ser feita em poucas linhas. Desligar-se de algo não é nada fácil e isso é válido também para relacionamentos, trabalho e até mesmo modelos de vida. E vale ressaltar que nem sempre o desligamento acontece por escolha própria. Por isso que recomeçar para uns é muito mais difícil do que para outros, e eu não estou dizendo aqui que precisa ser fácil. Viver o luto e a tristeza do fim de algo é fundamental para a elaboração do momento e o crescimento pessoal.
A pessoa vive um relacionamento com um determinado padrão e quando acontece a separação, se vê completamente perdido, com medo e até mesmo desconfiado de seus próprios valores.
Recomeçar não é fácil. Recomeçar implica rever os seus conceitos, aproveitar alguns, jogar fora outros e descobrir novos e isso, em alguns casos pode ser até mesmo assustador.
Para quem está do lado de fora, é fácil dizer, mas a dor de quem vivencia esse momento pode parecer sem fim.
Como recomeçar? O que fazer? Para onde correr? Nesse momento me recordo que o ideograma chinês utilizado para representar crise é o mesmo que pode ser utilizado para representar oportunidade. Na crise temos a chance de crescer, de mudar, de aprender se a encararmos como uma oportunidade de crescimento e amadurecimento pessoal.
Não é possível sair do poço, se não chegarmos ao seu fundo, mas é a partir do fundo que podemos começar a subir novamente.
O sabor do recomeço, só pode ser bom, se for vivido em primeira pessoa e então para finalizar me recordo da Fênix, pássaro da mitologia grega, que quando morria em auto-combustão, renascia de suas próprias cinzas, com muito mais beleza e brilho.
Passar por esse momento sozinho pode ser bastante complicado, por isso buscar ajuda, seja de profissionais, familiares, grupos de apoio ou amigos, pode ser fundamental.

*Photo credit: Briography via Visualhunt.com / CC BY-ND

Psicóloga clínica, psicanalista, membro regular da sociedade brasileira de psicanálise Winnicottiana. Atua com adolescentes e adultos, além de desenvolver um trabalho específico com gestantes, mães e bebês e orientação de pais. Consultório: Alameda Santos, 211 conj 611 – Cerqueira César – São Paulo Email: cynthia@cuidadomaterno.com.br