O DIA DOS NAMORADOS TÁ AI, E EU QUE TÔ SOZINHA?

Então, se o amor romântico de cara metade, príncipe de cavalo branco, amor a primeira vista e vida perfeita é uma construção social dominante e histórica, o que nos resta?

rosa
Photo by Timothy Dykes on Unsplash

Será que Tom Jobim tá certo, é impossível ser feliz sozinho?

Bem, o forte marketing que nos guia a vida e a hiper conectividade que faz com que tenhamos desejos quase impossíveis de conter, a partir da espiadinha básica que damos, constantemente, na vida alheia, através das redes sociais, fez com que o dia dos namorados fosse lançado em praticamente toda parte do mundo. Não ao mesmo tempo, mas é tema de todos os lugares. E haja amor perfeito, vida de propaganda de margarina, e foram felizes para sempre, almas gêmeas, amor a primeira vista… tão lindo e tão cansativo! Como se gasta dinheiro nisso! Uma indústria! 

É certo que ter um amor pra chamar de seu é algo que quase todo ser humano, em algum momento de sua vida irá desejar. O próprio estudo da Felicidade (Psicologia Positiva) tem como um de seus pilares as relações nutridoras. De certa forma, o grande Tom Jobim tem mesmo razão: é praticamente impossível ser feliz sozinho. Somos geneticamente desenhados para viver em bando. Pertencer. Amar e ser amado. É de nossa ancestralidade dar continuidade a espécie e para isso precisamos de um par – (ops, para gerar o filho no ventre, ok? Porque podemos ser pai ou mãe e até mesmo pãe sem a outra metade. Filhos podem ser gerados no coração.)

Mas, voltemos ao amor dupla. Basta uma pequena pesquisa na wikipedia para conhecer ou se atualizar sobre a história do amor romântico. Uma invenção do século XIII, aproximadamente e que se entranhou de tal modo em nossos arquétipos que passamos a tomar por verdade esta necessidade da cara metade – Tristão e Isolda, Romeu e Julieta, Cleópatra e Marco Antonio, passando por Angelina Jolie e Brad Pitt até Príncipe Harry e Meghan Markle. O amor romântico, quanto mais sofrido, mais casta e inacessível a mocinha, mais lindo! Até os tempos de hoje com as mulheres empoderadas: “esquece ele e fica louca; azarar os boys, beijar na boca”. Ver Meghan Markle, rica, famosa, paparicada pela mídia, entrar na igreja anglicana sozinha, com uma mãe sem pai no altar e aceitar o príncipe Harry e o que sua história e origem representa, é inovador e esperançoso.

Então, se o amor romântico de cara metade, príncipe de cavalo branco, amor a primeira vista e vida perfeita é uma construção social dominante e histórica, o que nos resta? Resta tudo! O que você quiser, do jeito que te fizer feliz! Esta decretada sua liberdade e seu protagonismo, não sem consequências, por que a vida não é assim tão simplesinha ou facilzinha para quem “ousa” desafiar o status quo. Mas é possível. Pode homem com homem, mulher com mulher, sem designação, ter filhos no casamento, não tê-los ou tê-los fora do casamento. Pode parir, pode adotar. Pode ser casado no papel com véu e flor de laranjeira, pode ser casado apenas de alma. Pode ser casado mas morar cada uma na sua casa e com sua vida. Também pode ser namorado, mas viver juntos no mesmo teto, dividindo a conta. E, pode inclusive, não ter ninguém ou mais de um (vide o poliamor). Quem vai atirar a primeira pedra? Quem vai definir certo ou errado? Apenas você e sua ética junto com seu/ sua parceira de vivência. Mas, é vital que você faça suas escolhas e não se imponha seguir padrões pré-estabelecidos por carência, ou necessidade de pertencer. Siga seu coração – coerência_ outro pilar da Felicidade. Se desejar ter alguém, faça-o, não por imposições externas ou convenções, mas por desejo de alma. De sua alma!

Qual a fórmula para atrair o grande amor de sua vida?

1º) você é o grande amor de sua vida! Pense: você não pode dar um tempo e nem se separar de você, pode? Então, trate de ser uma boa companhia para si e ser um grande amigo para você mesmo. Pessoas são atraídas por pessoas que se amam, que tem auto estima e que são autossuficientes. Autoestima, autoamor e auto aceitação deveria ser sua meta principal de vida antes de partir pra vida a dois. Estar com outro para tapar seus buracos é tarefa árdua para si e para o outro.

2º) lance ao universo seu sincero desejo, mas não tenha pressa, ansiedade e nem tampouco acomodação. Observe os sinais. Esteja aberta e disponível para conhecer pessoas. Não idealize. Tem gente que é tão específica em seus pedidos que complica até para o Cosmos. Facilita. Características físicas não deveriam fazer parte de sua lista de pedidos ao universo, mas afinidade de caráter e alma. Uma amiga conheceu um cara muito bacana que era um pouco mais baixo que ela. Ela encanou que o cara não servia. Pode? A outra porque o sujeito não tinha mestrado… Meu, o cara tinha que ser hétero, branco, alto, magro, rico, inteligente, culto, gentil, gostar de vinho e de viajar…. cansei! Pergunto eu a amiga: em troca de que? Só pra te conhecer? Tu oferece o quê em troca de tanta exigência? Não sei porque a amiga ficou mal comigo. Claro, ninguém está dizendo pra você aceitar qualquer coisa. Mas, conheça pessoas. Apenas isso. Uma outra amiga, era bem feliz com um carinha que conheceu e em seis meses já tinha vivido coisas muito legais com ele. Daí encanou que o cara não apresentava a família dele a ela e, então, cismou em como ela poderia pensar em casar com alguém que não a quer na vida dele? Percebe a ansiedade e a precipitação?   Eles só estavam se conhecendo e se curtindo. Estavam nesta fase e estava ótimo. Ela começou a pensar na hipótese da coisa evoluir e aí começou a fazer check list, idealizar.. Que tal conversar antes com a pessoa pra ver se ela está na mesma fase? Se pensam igual? O que é valor para ele? Por que tudo tem que vir assim tão pronto? Por carência e idealização?! 

Tem gente que tem uma represa de carência e que joga isso em cima do outro que até assusta. As pessoas não são assim tão preparadas para suprir tantas necessidades. A gente mal se aguenta, não é mesmo? Então, amigas e amigos, meu simples conselho como quem casou duas vezes tendo só dois namorados na vida. Já contei esta história aqui. Ame-se e conheça-se antes de pretender amar alguém. E sobretudo, goste de alguém, como esta pessoa já é. Se melhorar, ótimo. Se não, o que é já tá bacana. Nada é pior do que alguém que pra te amar exige que você mude. Mudança é algo difícil, lento e de foro íntimo. Beijão.

Mãe, esposa, boadrasta, mulher e FELIZ! Foi lagarta, hoje é borboleta. Atua como Consultora em Educação Corporativa há 25 anos. Professora, palestrante e instrutora. Mestranda em Gestão do Conhecimento - ESPANHA; Pós Graduada em Gestão de Pessoas - PUC/RJ, terapeuta Holística - UNIPAZ/SP; Pós Graduação em Psicologia Positiva - IPOG/SP Psicóloga, Coach e Mentora.