Os excessos

Um dia, reparando em outras pessoas de sucesso pessoal, percebi que havia uma leveza nas pessoas, uma discrição, um estilo próprio, que particularmente eu não via em mim... Fiz uma análise mais completa e descobri que eu era uma mulher de muitos excessos, inclusive emocionais, e que isso era visto pelas pessoas com certo ar de desequilíbrio

ionut-coman-photographer-296852-unsplash
Photo by Ionut Coman Photographer on Unsplash

Um dia, reparando em outras pessoas de sucesso pessoal, percebi que havia uma leveza nas pessoas, uma discrição, um estilo próprio, que particularmente eu não via em mim… Fiz uma análise mais completa e descobri que eu era uma mulher de muitos excessos, inclusive emocionais, e que isso era visto pelas pessoas com certo ar de desequilíbrio, não de loucura exatamente, mas de quem ainda não achou o prumo correto, e neste dia eu fiz um projeto para os próximos dez anos!

Resolvi aparar minhas arestas!!!!

Não quero mais ser impactante ou destaque, quero apenas representar por fora exatamente quem sou por dentro.

Não quero mais gestos tão amplos e ser a risada mais alta da mesa, quero o prazer íntimo de algumas vezes sorrir por dentro, da piada interna, e se o riso vazar, tudo bem, mas não preciso ser o centro da piada nem fazer dos outros a piada.

Não quero mais ser a doida, a maluca, a engraçadinha… Quero ser levada a sério, quero que me reconheçam profissionalmente, e ainda que eu só sirva para grampear folhas, que eu faça isso com seriedade e austeridade.

Não quero mais ser a pessoa que faz drama, que conta os problemas, que desaba, que chora quando está em público, pois isso me enfraquece, me expõe, me vitimiza.

Quero escolher melhor o que como, respeitar mais meu organismo, dormir mais cedo e usar lençóis de algodão, porque a vida adulta exige consciência e cuidados com a máquina humana. Que os mimos a mim mesma não sejam somente sapatos e bolsas. Não digo que não vou tomar milkshake ou comer hambúrguer, mas que não farei rotina dos maus hábitos. Vou me pesar mais, marcar o dentista com mais frequência e visitar o dermatologista pra ver aquela manchinha nova, porque isso é cuidar de mim. Como posso esperar que outro me cuide quando eu mesma, dona de mim, me negligencio.

Quero conhecer outros campos, ler coisas que nunca tive interesse, me aventurar por estilos musicais que nunca ouvi, assistir um gênero de filme que nunca pensei antes, porque eu mereço as coisas que o mundo oferta, e mereço novas idéias, mereço ter menos certeza de tudo e mais confiança em algumas áreas.

Não quero ser desejada apenas, quero respeito, admiração, porque um dia a velhice vai me tirar todo o viço da juventude, o sumo da luxúria, e tudo que vai restar é uma senhora distinta, educada e respeitável… Não, não falo de moral ou de conduta sexual, não é isso que torna a mulher respeitável, ela pode dormir com 100 homens e ainda assim ter a fibra, a garra e a respeitabilidade que merece. Falo de ser um ser humano melhor, mais consciente de si e dos outros, praticante empatia, de senso coletivo, de responsabilidade familiar, de profissionalismo. Falo de não querer somente uma casa maior, uma graduação extra, mais dinheiro… Mas do desejo de ser uma pessoa mais plena, envolvida, engajada e suave!

Tenha um projeto pessoal! Porque eu mereço e você também!

Separada, superada, sem parada! Apaixonada novamente Dois filhos terríveis e lindos Buscando autoestima e autoconfiança Professora e aprendiz, sempre!