Quando viver o agora cansa...

Só por um dia, queria acreditar em “para sempres” e amores eternos. Queria fazer planos e criar expectativas sem medo.

9058025951_3020e711f4_o
Photo credit: angrylambie1 via VisualHunt.com / CC BY

Hoje, só hoje eu queria de volta a minha capacidade de sonhar.

Só por um dia, queria acreditar em “para sempres” e amores eternos. Queria fazer planos e criar expectativas sem medo.

Estou com saudades daquele olhar brilhante de sonhos a dois.

Só hoje. Queria planejar nosso futuro.

É difícil saber que nada disso é possível. Não mais. Não quando a gente aprende que amor existe agora, e postergar sorrisos em futuros que talvez nunca cheguem não vale a pena.

Te amor agora. Vivo agora esse amor maior que eu mesma.

AGORA.

Não procrastino prazeres e nem beijos. Não adio felicidades e nem gargalhadas.

Mas viver agora e ser feliz agora, cansa. Por que quando somos felizes agora e precisamos nos manter felizes agora viramos reféns de um louco imediatismo que não nos permite viver lutos e cultivar nuvens de dias ruins.

Precisamos amar e ser felizes apesar de tudo. Além de tudo. Com tudo e por tudo. Sorrisos cheios de obstinação e teimosia.

Mas cansa. Por que os problemas e as tristezas postergadas acabam se tornando um peso gigantesco de nuvens acumuladas. Carregamos tanta chuva nos ombros, mantendo o sorriso de primavera.

Viver o hoje. Ser feliz hoje.

Pois bem, meu amor. Hoje, só hoje eu queria estar triste, sonhando com o nosso para sempre. Cultivando a esperança de dias melhores. Atrasando o tempo de sermos finalmente felizes.

Me permitindo sucumbir ao medo de nada dar certo amanhã e me afundar em seu colo.

Só hoje. Só agora…

Clara é escritora, divorciada, mãe, apaixonada, feliz. O seu maior prazer é deixar as palavras brincarem na sua cabeça e assumirem o controle. Recomeça todos os dias, se equilibrando em mágoas e amores.