Quero apenas matar minha fome

32 – 32 anos, 32 homens, 32 tatuagens - Capítulo 24

chameleon
Photo by SHINE TANG on Unsplash

Ser um camaleão pode soar como uma virtude, mas em mim é traço de desespero. Me descasquei de toda dignidade: quero apenas matar minha fome. Se o homem gosta de crianças, eu as adoro; se ele as acha insuportáveis, eu não as quero por perto; se ele ama fazer trilhas, eu já estou com a mochila nas costas, se ele é caseiro, eu compro um cobertor; se ele gosta de filmes violentos, eu sou fã número um do Tarantino, se ele se delicia com ópera, estou vestida de Papagena; se ele é cético eu duvido até da minha existência, se ele é budista eu medito com o raiar do sol.

Vergonha? Eu já passei do ponto da vergonha, ou melhor, eu nunca sequer cheguei a ele. Quando você faz algo patético e consegue se envergonhar ainda resta uma possibilidade de redenção. No entanto, apesar da absoluta consciência do patético da coisa, eu nunca me envergonhei. Se alguém tem fome e vasculha o lixo até encontrar raspas e restos que o mantenham vivo, deveria se envergonhar? Pois que outra coisa estou fazendo ao me transformar numa descarada camaleoa a não ser tentar me manter viva? Eu quero apenas matar minha fome, já disse.

Talvez, através dos métodos que uso para me alimentar, eu aproveite para ser várias – e todas verdadeiras. Sim, às vezes eu gosto de crianças e às vezes as detesto, às vezes eu quero ficar em contato com natureza, às vezes quero me enterrar debaixo do cobertor, às vezes quero Vin Diesel, às vezes Mozart, às vezes discordo de todas as religiões institucionalizadas, às vezes necessito de algo que transcenda e me pacifique. Eu apenas escolho com quem mostro tal ou qual faceta. Ou isso tudo é apenas uma desculpa inútil? Ou eu estou cada vez mais próxima da inanição porque procuro alimento nos lugares errados e da maneira errada? Sim, eu sei. Eu sei qual é a verdade.

 

 

Perdeu o capítulo anterior?

A História Sem Fim

Stella Florence é escritora, autora dos sucessos "Loucura de Estimação", “Os Indecentes”, "Eu me possuo" entre outros livros que tratam do universo feminino. Stella é cronista veterana e parceira do Exnap! www.stellaflorence.net