Sem medo de ser feliz!

Nunca soube amar pela metade, me entregar só um pouquinho....

silhouette-1447173_1280

Hoje me deparei com uma pergunta….

– o que mais me assusta? Sofrer ou viver com medo de sofrer?
Queria alguém que se apaixonasse loucamente por mim. Que me amasse com entrega e um certo desespero. Mas será que eu saberia amar com toda essa entrega novamente? Será que eu saberia amar?

Nunca soube amar pela metade, me entregar só um pouquinho…. Detesto sentir medo. A gente só vive uma vez, e perder essa única chance com medo de sofrer não me parece uma idéia tentadora.
Mas, pra que serve o medo senão para nos impedir de cair de cabeça numa grande furada?

Concordo que quebrar a cara algumas vezes é bom e faz parte da vida… Mas não aprender com os erros e continuar quebrando a cara o tempo o todo é burrice…
Então o juízo, a maturidade e uma dose de medo são necessários para evitar sofrimentos. Certo?!

Não sei.

Razão e amor seguem caminhos opostos…  Viver com medo de errar de novo, com medo de quebrar a cara, com medo de sofrer… pode nos impedir de viver grandes emoções, grandes amores, grandes aventuras… As grandes decepções provavelmente serão evitadas, mas será que vale a pena?

Bom… poderia concluir que o certo então seria entrar de cabeça, me apaixonar loucamente sem medo….
Não é assim tão simples… tenho a sensação de que meu cérebro criou por conta própria alguns obstáculos, na tentativa infantil de me impedir de cair novamente. Penso em amar e logo me vem uma amargura profunda… uma dureza que, eu sei, se reflete no meu sorriso e no meu olhar. Quem seria capaz de enfrentar essa muralha?
Sinto como se estivesse sempre mandando sinais controversos. “Só me ame se for enlouquecidamente! Mas me perdoe se eu não te amar…”

Confuso, né?!

Ser machucada como eu fui deixa cicatrizes, é fato. Aprender a viver com elas tem sido meu grande desafio… Ainda estou longe de me sentir segura pra cair de novo. Mas uma coisa é certa… aprendi que eu sobrevivo. Que não vou morrer de amor! Então só me resta tentar ser feliz…

 

Siga Clara Stark também no facebook.com/sempreclara/

Clara é escritora, divorciada, mãe, apaixonada, feliz. O seu maior prazer é deixar as palavras brincarem na sua cabeça e assumirem o controle. Recomeça todos os dias, se equilibrando em mágoas e amores.