Sucesso na carreira significa adiar a maternidade?

A realidade e que a maternidade ainda continua sendo grande desafio para muitas mulheres que trabalham e que buscam posições de destaque nas organizações, pois quando a carreira começa a crescer, o relógio biológico não anda na mesma proporção.

gravida
Photo by Camila Cordeiro on Unsplash

E lá vamos nos falar de gênero no trabalho mais uma vez. Vocês ja devem ter visto nos noticiários que as gigantes empresas do ramo tecnológico declararam que vão pagar pelo congelamento de óvulos das funcionarias que desejarem adiar a maternidade.

O que podemos dizer a respeito deste novo beneficio oferecido por estas empresas? Trata-se de uma evolução da forma como vivemos hoje ou propagação de uma vida louca corporativa que nao sabemos ao certo onde isso vai parar?

Confesso que ainda nao tenho esta resposta, mas temos alguns fatos importantes a discutir e refletir sobre essa temática tao relevante e polemica.

A realidade e que a maternidade ainda continua sendo grande desafio para muitas mulheres que trabalham e que buscam posições de destaque nas organizações, pois quando a carreira começa a crescer, o relógio biológico não anda na mesma proporção.

A medicina diz que o ideal é que mulheres tenham filhos aos vinte e poucos anos, mas vamos ser realistas? Nesta fase dos vinte aos trinta anos são poucas que conseguem conciliar uma carreira de grandes responsabilidades com a maternidade.

As poucas mulheres que conseguem ter uma boa estrutura de apoio, contam com ajuda dos pais, escolinha, baba e etc… Isso custa muito caro! Nem todas possuem tal condição financeira nesta idade, afinal neste período é a fase de maior “ralação” profissional, em que aquelas que começaram a trabalhar cedo (desde a faculdade) estão criando uma vida de sucesso de abundancia, que irão começar a colheita apos idade dos trinta.

Portanto, vamos analisar esta opção oferecida por estas empresas de congelar óvulos sob dois aspectos:

Se o objetivo da empresa ao oferecer este beneficio é para que a funcionaria nao sofra com tamanha pressão do relógio biológico, tenha mais liberdade de escolher momento certo para ter seus filhos e quando assim decidir pela maternidade não ser penalizada na carreira por isso, então considero este beneficio algo fantástico e excelente.

Mas se objetivo da empresa ao oferecer congelamento de óvulos for uma forma de pressionar a mulher para que trabalhe mais e obrigatoriamente só venha a ter filhos com mais idade, então ja não acho uma boa ideia.

Não temos como saber as reais intenções da empresa com este beneficio. Se boas ou não dependera da forma como nós mulheres vamos lidar com esta situação. Minha recomendação e que usem este beneficio a seu favor e jamais perca a noção de que tem total liberdade para optar pela maternidade no momento que desejarem.

Pois é mulherada, eu também compartilho deste dilema, e qualquer decisão envolverá um risco. As boas novas é que podemos trazer a tona essa questão para refletirmos sobre nosso papel, nossos objetivos de vida, ampliar nossa visão de mundo e escolher aquilo que realmente importa. Pense nisso.

Gostou do artigo? Então compartilhe.

Especialista em comportamento no trabalho, atua como escritora, palestrante, Coach de Carreira e professora de gestão de pessoas. Divorciada, ela compartilha dos dilemas das mulheres no mundo corporativo.