TALK SHOW EXNAP no SARAU CONVERSAR

O talk show "A Validade do Amor" do EXNAP no Sarau Conversar, foi supimpa. De derreter corações, literalmente.

stella

O talk show “A Validade do Amor” do EXNAP no Sarau Conversar, foi supimpa. De derreter corações, literalmente. Literariamente? Musicalmente? Para a nossa surpresa (e privilégio!), o adorável e mais que especial Dr. Francisco Florence, “Seu França”, tio da escritora convidada Stella Florence, abrilhantou a noite com música e poesia (ficou devendo o sapateado!). Quem disse que não há glamour nos 90 anos? Achei sexy!! Ah, se eu tivesse 30 a mais.. <3

Ana Paula Florenzano arrasou ao falar do começo do site e recomeços de vida. E ao final, declamando o Soneto de Fidelidade, assim, de improviso? Apoteótico. A Stella, seu livro Loucura de Estimação, suas ponderações sobre o amor, sua beleza interior e sabedoria, tudo à tona, à flor da pele. Aplausos!

Camila Morita, artista plástica, deu pinceladas na nossa alma com sua história de recomeço após um rompimento amoroso, suas telas compondo a trajetória de reconstrução do seu eu, o VIDEO de André Yamamoto transbordando delicadeza do telão. Tão lindo!

O video do EXNAP, produzido pelos parceiríssimos Aurélio Figueiredo e Tiago Schenk, da produtora Studio Fly, fechou a nossa participação com chave de ouro. E abriu a noite às declamatórias, músicas e talentos da plateia recheada de amigos queridos e convidados.

Lígia Velozo Crispino e Celine Ramos, idealizadoras do Sarau, suas lindas, muito obrigada pela oportunidade e convite. Obrigada por me fazer sentir luz-estrela nesta linda constelação que vocês criaram.

Recomeçar é começar a ser. Sejamos poesia, alma embalada e muito amor.

DUAS ALMAS (Alceu Wamosy)

Ó tu que vens de longe, ó tu, que vens cansada,
Entra, e, sob este teto encontrarás carinho:
Eu nunca fui amado, e vivo tão sozinho,
Vives sozinha sempre, e nunca foste amada…

A neve anda a branquear, lividamente, a estrada,
E a minha alcova tem a tepidez de um ninho,
Entra, ao menos até que as curvas do caminho
Se banhem no esplendor nascente da alvorada.

E amanhã, quando a luz do sol dourar, radiosa,
Essa estrada sem fim, deserta, imensa e nua,
Podes partir de novo, ó nômade formosa!

Já não serei tão só, nem irás tão sozinha.
Há de ficar comigo uma saudade tua…
Hás de levar contigo uma saudade minha…

Por Ana Kessler

para o blog www.anakessler.com.br

Em uma conversa entre amigas, Ana e Juliana, ambas separadas e Aline, casada, falavam de divórcio e de como esse assunto ainda é visto como um tabu. Existe (acreditem!) muito preconceito e clichês. E só sabe isso quem vive ou viveu um divórcio.