Talvez abandonar seja seu maior ato de CORAGEM

É hora de analisar, avaliar refletir se esse lugar é nosso. Aqui sou amada como desejo? Respeitada como desejo? Foi isso o que sempre desejei para mim?

designecologist-781651-unsplash
Photo by DESIGNECOLOGIST on Unsplash

Tomar essa atitude baseada em recorrentes atitudes negativas do outro exige uma sensatez absurda. Quantas vezes nos perguntamos se iríamos aguentar viver sem essa pessoa? Quantos contorcionismos fizemos para essa relação dar certo? Você já parou para pensar a força que fez para continuar nessa relação, ocupando aquele lugar que não faz nem sentido ser seu?

Nós nos anulamos, nos moldamos para caber no outro, nas expectativas do outro. E as nossas? Nunca preenchidas, né? Tudo para ser amada, mas não percebemos que se esse outro realmente nos amasse não precisaríamos nos moldar para caber nas expectativas dele. E conto um segredo: nada que fizer vai fazê-lo ficar ou te amar, porque somos livres e se tiver que ir embora, ele irá, você se moldando ou não.

É hora de analisar, avaliar, refletir se esse lugar é nosso. Aqui sou amada como desejo? Respeitada como desejo? Foi isso o que sempre desejei para mim? As respostas estão diante dos nossos olhos, porém o medo de perder nos faz arrumarmos todas as desculpas do mundo para não ver. E já diz aquela velha frase: “O pior cego é aquele que não quer ver”, e nos tornamos cegas! 

Fazemos diariamente planos mirabolantes para a relação dar certo e em cada plano uma nova esperança cresce em achar que tudo vai melhorar e mudar. São os nossos famosos achismos rsrs. E quando vemos, estamos lá pedindo migalhas de atenção, migalhas de amor como pombos e nos esquecemos que um dia fomos Águias.

Um dia cansamos de mendigar amor, de sofrer, olhamos no espelho e nos vemos cansadas e nos agarramos àquelas últimas gotas de amor-próprio e damos o primeiro passo para o desconhecido, para o recomeço, com muito medo. Mas a sensação de sermos pombas nos atormenta tanto que vamos com medo mesmo e ultrapassamos a barreira desse relacionamento abusivo onde só damos e não recebemos. Sim! Ficamos orgulhosas de nós mesmas e vemos que somos águias livres, que não merecemos migalhas de atenção e de amor. São horas de sofrimento para minutos de amor, de prazer. Não vale a pena! 

Então, minhas Águias, hoje eu deixo aqui uma pontinha de coragem para vocês. Se agarrem no que puderem para levantar voo, mas não fiquem como pombas implorando por amor de ninguém. Somos instantes, amanhã não estamos mais aqui, vamos voar, nos amar e enfrentar o desconhecido como guerreiras que somos. Juntas somos fortes e do tamanho dos nossos sonhos.

Deixo uma técnica para encorajar vocês e aumentarem a autoestima, uma afirmação pequena, simples, mas se repetida três vezes ao dia diante do espelho tem um efeito importante no subconsciente. A afirmação é a seguinte: “Eu me amo. Eu me aceito. Eu me perdoo. Eu me respeito”. Façam pelo menos de manhã e à noite olhando no espelho. Com carinho e coragem.

Andrea Figueiredo 

Instagram – @andreafigueiredopsi

Email –  afpsicologia7@gmail.com

Andrea figueiredo é formada em Psicologia, especializada em Psicologia cognitiva e Psicologia Positiva e dedica-se a terapia online com mulheres vítimas de relacionamentos abusivos, aonde perderam sua autoestima e as encorajam em um recomeço digno sabendo seu lugar no mundo. Para complementar seus textos utiliza exercícios e técnicas da psicologia positiva como dicas para reorganizar os pensamentos e crenças dos leitores e pacientes ❤