Você costuma achar que nunca sabe o bastante para começar o que quer????

Porque será que nós, mulheres, achamos que nunca sabemos o bastante, ou que não somos boas/competentes o suficiente?

IMG_7589

Você costuma achar que nunca sabe o bastante para começar o que quer????

Porque será que nós, mulheres, achamos que nunca sabemos o bastante, ou que não somos boas/competentes o suficiente? E que ainda não temos a competência ou habilidades necessárias? Já reparou que está sempre faltando alguma coisa específica, que usamos como justificativa para não começar o que queremos de fato?

Às vezes, dizemos que falta melhores condições financeiras, um curso, uma especialização, mais experiência, mais expertise de mercado, parecer mais velha para determinada função, parecer mais jovem, saber se comunicar melhor ser mais desinibida… Sempre falta algo e usamos essa desculpa como justificativa para dizer aos outros e a nós mesmas porque estamos onde estamos e não estamos nos mexendo para realizar o que é crucial para nossa felicidade e crescimento.

Outro dia, li essa história que é real e compartilho contigo neste e-book, porque ela ilustra maravilhosamente bem essa síndrome a que me refiro aqui no item 2 e   que acomete a maioria de nós: a síndrome do “não sei o suficiente ainda, por isso não vou começar, vou passar vergonha, não sou boa o bastante”.

Analise se essa história real, tem algo familiar na sua história de vida:

Tenho uma amiga que viveu 2 anos na China. Foi sozinha, se virou, trabalhou, viajou, aprendeu a língua. Mas não se sente conhecedora da área para ajudar as pessoas a irem para lá e fazer o mesmo. Claro, uma vida inteira não seria suficiente para dominar o País Oriental. Mas ela conhece alguma coisa. Muito mais do que qualquer um de nós, brasileiros. E isso já é o suficiente para a maioria de nós.

Seja qual for a sua história, a sua experiência foi única. E tem valor para as pessoas, porque elas não passaram por isso. Elas não resolveram os problemas que você resolveu, não se jogaram no que você se jogou.

Ainda que sempre existirão problemas não enfrentados, jogos não jogados, e conhecimentos não dominados. O que já temos, sabemos e vivemos é sempre o suficiente para alguém. Só precisamos encontrar quem.

 

Te contei isso porque vejo todos os dias, mulheres no meu escritório indo buscar ajuda e vejo essa insegurança nos relatos delas. Então o meu conselho é: entre em campo, mesmo que não saiba tudo da área pretendida. Você nunca vai saber tudo. Uma vez dentro do campo, você busca o que é necessário naquele momento e de passo em passo, você vai se surpreender com o que é capaz de fazer e realizar.

Você acha que as pessoas mais realizadas e bem-sucedidas do planeta Terra que você conhece hoje esperaram saber tudo para começarem seus negócios e seus sonhos? Muitos deles só sabiam o que queriam, mas não faziam ideia de como fazer. Só sabiam o que iam fazer naquele dia. No dia seguinte, era continuar o que haviam começado e persistir adiante. Então, pare com as desculpas e comece logo a tua mudança, teu projeto, teu sonho, tua intenção. Você precisa que eu diga algo motivador? Então eu digo: vai lá e faz!

E é obvio que as mudanças a curto prazo mexem muito com a gente. Crescer dói, mas vale muito a pena. Colocar a mão na massa no início vai dar muito trabalho e pode até gerar algum grau de estresse, mas é melhor enfrentar o estresse no curto prazo, do que encarar a tristeza para o resto da vida por não ter feito o que você queria fazer! A vida está passando. Agarre a tua vida e viva ela até a última gota.

Empresária, Coach e palestrante! Especialista em Coaching para mulheres e alto desempenho! Sou Leonina, apaixonada por trabalhar e amo meu life style, meu coração bate mais forte por desafios e superação! Sempre quero mais! Minha missão é inspirar pessoas a prosperarem em suas vidas através da paixão genuína pela vida e trabalho. Alta energia, empoderamento e atitudes fazem parte do meu arsenal para vencer na vida e amo caminhar lado a lado com as minhas clientes neste propósito e ver elas “voarem”! Acredito muito que amar a própria transformação é a chave!